Maio 19, 2024

Peritos militares do Órgão Técnico do Mecanismo Conjunto de Verificação Alargado (MCVA) da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL) elogiaram, ontem, em Cabinda, a situação de segurança e humanitária ao longo da fronteira entre Angola, República do Congo e a RDC.

O facto foi revelado pelo chefe da missão de peritos do Órgão Técnico do MCVA, coronel Ermar Kongobo, que falou à imprensa em nome da delegação militar, no final de uma audiência com a governadora Mara Quiosa, no Palácio do Go-verno de Cabinda.

Kongobo disse ter recebido boas informações das autoridades governamentais e militares da província de Cabinda sobre a segurança ao longo da fronteira com as Repúblicas do Congo e a RDC, esclarecimentos que, disse, não diferem das que tem estado a receber e que na sua perspectiva consolidam ainda mais a paz, tranquilidade, estabilidade e concórdia entre os povos e livre circulação de pessoas e bens.

“As informações que recebemos das autoridades governamentais e militares da província de Cabinda  confirmam tudo aquilo que ouvimos sobre a situação de segurança ao longo da fronteira que é calma, e que existe uma boa colaboração entre as autoridades dos três países vizinhos”, disse o coronel Ermar Kongobo, para quem a livre circulação de pessoas e bens é prova inequívoca dos factos.

Por outro lado, o chefe da delegação de peritos militares do Órgão Técnico do Mecanismo Conjunto de Verificação Alargado da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos manifestou-se preocupado com a situação de insegurança e instabilidade que se vive actualmente na República Centro Africana e no Leste da RDC.

Ermar Kongobo aproveitou a ocasião para fazer o enquadramento sobre a actuação do Órgão Técnico que chefia, salientando ser missão dos peritos militares da MCVA a verificação e monitorização da situação de segurança e humanitária junto das fronteiras dos Estados-membros da Região dos Grandes Lagos. “A nossa missão nesta província é a de fazer a verificação e monitoração da situação de segurança e humanitária dos três Estados membros da Região dos Grandes Lagos”, notou.

Acrescentou que o objectivo da verificação e monitorização da situação de segurança e humanitária ao longo da fronteira entre as Repúblicas de Angola, Congo e a RDC, é no sentido de contribuir para a manutenção da paz, confiança e concordância entre os Estados-membros da organização.

A missão integrou peritos das Forças Armadas Angolanas (FAA), da República Centro Africana, Congo, RDC, Uganda, Burundi e Quénia.

O Órgão Técnico do Mecanismo Conjunto de Verificação Alargado (MCVA) da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos  (CIRGL) é composto por 12 países nomeadamente Angola, RDC, República do Congo, Uganda, Burundi, Quénia, Rwanda, RCA, Tanzânia, Sudão do sul, Sudão e Zâmbia. Depois de ter visita-do a província de Cabinda (Angola), a delegação de peritos militares do Órgão Técnico do Mecanismo Conjunto de Verificação Alargado (MCVA) da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), rumou para Kinshasa, capital da RDC.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *