Junho 14, 2024

A Reserva Estratégica Alimentar (REA) já comprou, através da empresa Carrinho Agri, mais de 10 mil toneladas de milho a 38 mil produtores que se dedicam à agricultura familiar, tornando o mercado nacional auto-suficiente na produção e oferta deste cereal, de acordo com o director de Agronomia, Ademir da Silva.

Ao atingir estes indicadores, a REA, que é gerida pelo Grupo Carrinho, deixou de importar, desde Setembro de 2022, milho, sendo que o mecanismo é suportado exclusivamente com produção nacional, fruto da actividade desenvolvida por produtores que se dedicam à agricultura familiar.

Ao todo, a Carrinho Agri estima comprar cerca de 100 mil toneladas de todos os produtos ao abrigo deste protocolo, nomeadamente milho, feijão, trigo, arroz e algodão. Nesta primeira fase, as 10 mil toneladas são exclusivamente referentes ao milho.

Em termos financeiros, as compras realizadas pela Carrinho Agri neste ciclo correspondem a um total de 1,3 mil milhões de kwanzas, investimento canalizado aos operadores da agricultura familiar, sem intermediação, nas seis províncias do país em que o protocolo já está em curso, conforme atestou o director agrónomo.

O responsável disse que a parceria Carrinho Agri e os 38 mil produtores já produz resultados positivos “na vida dos técnicos envolvidos e da própria REA”, sendo que, pelo lado agrícola, esta relação está a cimentar as bases da agricultura familiar sustentável em Angola, beneficiando as famílias inscritas no processo.

“Os produtores estão a receber o valor das suas culturas na íntegra, sem intermediários, o que já lhes permite comprar consistentemente os bens que outrora não podiam, pois o preço não estava tabelado e nem sempre lhes trazia lucro”, explicou Ademir da Silva.

Por sua vez, a REA “está a garantir as condições para o fomento, garantia de mercado e abastecimento da REA com produção nacional, através de um programa de melhoria de qualidade de vida do produtor angolano”.

Na prática, estas acções já tornaram o mercado nacional auto-suficiente no que toca à produção e consumo de milho.

Só na província da Huíla, a Carrinho Agri já comprou mais de 6.000 toneladas a um total de 4.300 famílias camponesas.

“Já comprámos 50 por cento deste volume na Huíla. Neste primeiro ciclo, temos 38 mil produtores em todas as seis províncias”, avançou.

“Estas vantagens têm permitido, por outro lado, que a REA deixe de importar o milho. Aliás, desde Setembro de 2022 que este mecanismo estatal de abastecimento de cereais ao mercado nacional não importa o milho”, indica a fonte, depois de frisar que de vantagens não é tudo.

“Os profissionais da agricultura familiar, que vendem os seus produtos à Carrinho Agri, têm ainda beneficiado de apoios diversos. Por exemplo, há agricultores que, antes da parceria com a Carrinho, não tinham sequer documentos de identificação”, aponta. Com este protocolo, a Carrinho tem apoiado os produtores na obtenção dos Bilhetes de Identidade.

“É um documento vital para assinatura de contrato de produção e consequente abertura da conta. Um dos maiores desafios que temos e necessitamos do apoio dos governos municipais para que nas campanhas futuras isto deixe de ser um problema”, rematou.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *