Fevereiro 25, 2024

O Hospital Geral Municipal de Cacuaco vai ser inaugurado, no final do primeiro trimestre do próximo ano, anunciou, sábado, em Luanda, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta.

A ministra fez este anúncio durante uma visita de campo às obras de construção e ampliação dos hospitais da capital do país, com destaque para os hospitais Geral Municipal de Cacuaco, Américo Boavida e Especializado Neves Bendinha.

A ministra fez saber que o Hospital Municipal Geral de Cacuaco vai contar com 300 camas, com vários serviços incluídos para tratamento oncológico e hemodiálise.

A unidade vai dispor, ainda, de áreas de cuidados intensivos, desde o Neonatal até aos serviços para adultos, com condições operatórias e técnicas, no sentido de melhorar o tratamento quer médico, quer cirúrgico para a circunscrição que carece de unidades sanitárias de referência.

Sílvia Lutucuta avançou que as obras de construção do Hospital Geral Municipal de Cacuaco encontram-se a bom ritmo, estando numa ordem global de 68 por cento de execução física e sem constrangimentos financeiros.

A ministra recomendou ao empreiteiro acelerar o processo e reforçar o número de profissionais na obra, de modo a alcançar o prazo de execução de 36 meses.

 
Américo Boavida

Sobre a requalificação e ampliação do Hospital Américo Boavida, a governante referiu que decorrem trabalhos em vários edifícios, com destaque para o centro de formação, área dos dormitórios, morgue e a parte dos infectocontagiosos.

Dentro em breve, vai ser demolido o último edifício, que é o M, para a sua requalificação. Decorrem conversas com o empreiteiro e o fiscal da obra, no sentido de se superar os constrangimentos em torno do estudo do impacto ambiental.

Depois dos constrangimentos, aguarda-se que a entidade financiadora conclua a análise para a continuação do curso normal da empreitada. Fruto disso, as obras do hospital, avaliadas em 148.555.072,77 dólares, estão numa execução global de 7,47%.

 
Obras no Neves Bendinha estão perto do fim

As obras do Hospital Geral Especializado Neves Bendinha estão a 96% de execução, daí a garantia da ministra da Saúde de o empreendimento ser inaugurado em dois meses.

“Estamos a trabalhar com o Ministério das Finanças, no sentido de, a curto prazo, desbloquear os pagamentos. E, se tudo for cumprido e não existir nenhum constrangimento, em dois meses abrimos os serviços”, informou a ministra.

Sílvia Lutucuta considerou que o Hospital Geral Especializado Neves Bendinha, para doentes queimados, representa uma unidade mista de nível terciária, mas que faz, igualmente, atendimentos de nível primário.

Com a reabilitação e ampliação, o conhecido Hospital dos Queimados passará a ter melhores condições de atendimento e aumentou a capacidade de 91 para 129 camas, entre as quais estão 13 leitos de cuidados intensivos equipados com material de ponta. Neste momento, o Hospital Neves Bendinha precisa apenas de três itens que carecem de conclusão, designadamente as áreas do La- boratório, que faltam os cialíticos (lâmpada cirúrgica), lavandaria e da Imagiologia, tendo em conta que os equipamentos ainda não se encontram no país.

O Hospital conta com Banco de Urgência, salas de observação e de Cuidados Intensivos, Blocos Operatórios, três laboratórios (Análises Clínicas, Laboratório Interno e Serviços Gerais), morgue e área de esterilização. Além desses serviços, a unidade clínica especializada dispõe, igualmente, de lavandaria, auditório, sala de Raio X, área do PAV, casa de máquinas, rampa de gás medicinal, edifício de manutenção, entre outros.

JA  

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *