Fevereiro 25, 2024

O embaixador de Angola na Coreia do Sul, Edgar Gaspar Martins, participou, de 4 a 7 do corrente mês, na cidade portuária de Busan, em representação do ministro da Agricultura e Florestas, na primeira reunião ministerial do Centro Saemaul Undong, na qual deu a conhecer o programa do Executivo de combate à pobreza.

De acordo com um comunicado a que o Jornal de Angola teve acesso, a reunião foi realizada, conjuntamente, pelo Ministério do Interior e Segurança Pública da Coreia do Sul e pelo Centro Saemaul Undong, com o objectivo de dar a conhecer os avanços operados por este movimento rural de massa ao nível da Correia, bem como divulgar, internacionalmente, os valores e conquistas, mobilizar apoios dos países participantes visando a candidatura da Coreia do Sul em sediar a Expo mundial de 2030, na cidade portuária de Busan.

No âmbito do tópico proposto, refere o documento, os países participantes reflectiram sobre o papel do Centro Saemaul Undong e o plano de execução em cada país. Angola, apesar de ainda não possuir, em território nacional, qualquer projecto de colaboração específica com o país em referência, enumerou como exemplo o PIIM e o Kwenda, como programas do Governo central que se assemelham a alguns bem-sucedidos da organização Saemaul Undong.

Foi destacado, no mesmo exemplo, o quadro estratégico de combate e redução da pobreza, o Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), que visa contribuir em termos gerais e promover o desenvolvimento humano e o bem-estar dos angolanos com a inclusão económica e social ao nível local, com especial incidência na zona rural.

O embaixador de Angola na Coreia do Sul esclareceu que o PIDLCP é gerido por um fundo de apoio social (FAS), que se enquadra na linha da agenda de Angola-2023 e da agenda da União Africana-2063, que vem desagravar as assimetrias territoriais e disparidades sociais no acesso aos bens públicos básicos, avançar a economia local diversificada para melhorar o bem-estar social e fortalecer a capacidade dos Governos locais para prestar serviços de qualidade às famílias mais pobres.

Durante a cerimónia de abertura, foi feita a leitura de uma mensagem de felicitações do Presidente da Coreia do Sul, Yoon-Suk-yeol, e contou com a presença de cerca de 300 convidados, dentre os quais ministros, vice-ministros e embaixadores acreditados na Coreia do Sul, em representação de 29 países de África, Ásia e América latina.

Da parte coreana, para além do ministro em exercício do Interior e Segurança Pública, Han Chang-seop, que presidiu ao evento, esteve também o antigo Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon, que abordou na sua intervenção sobre “o Papel e Contribuição do Programa Saemaul Undong na resolução dos problemas universais da humanidade na aldeia global”.

Na sequência das discussões, durante a reunião, foi adoptada, por aclamação, uma declaração com vista ao alcance dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nos países em desenvolvimento, tendo, também, por base, os princípios disseminados pelo movimento Saemaul Undong.

O Centro Saemaul Undong é uma iniciativa política lançada a 22 de Abril de 1970 pelo ex-Presidente sul coreano, Park Chung-hee, com o propósito de alavancar a economia da zona rural da Coreia do Sul. Em 2009, por Decreto presidencial, o Governo estabeleceu o Centro Saemaul Undong para a partilha da sua experiência de desenvolvimento comunitário com os mais variados países do mundo em vias de desenvolvimento.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *