Maio 19, 2024

O prazo dado pela CDEAO à junta militar para reinstalar, até domingo, o Presidente nigerino, deposto em 26 de julho, terminou sem que a exigência fosse cumprida, pelo que a população prepara-se agora para o pior.

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) ameaçou recorrer à força se a junta militar que depôs o regime do Presidente democraticamente eleito do Níger, Mohamed Bazoum, não o reconduzisse até ao meio-dia de hoje, havendo, afora apelos internacionais para procurar meios pacíficos para tentar repor a legalidade institucional.

No sábado, o Senado da vizinha Nigéria insurgiu-se contra o plano da CEDEAO, instando o Presidente da Nigéria, Bola Ahmed Adekunle Tinubu, que também lidera o bloco até ao final do ano, a explorar outras opções que não o uso da força. 

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *