Fevereiro 29, 2024

O Presidente da República, João Lourenço, prometeu, terça-feira, em Luanda, a contínua aposta nas mulheres para cargos de decisão no aparelho de Estado e órgãos de soberania, como forma de o país alcançar rapidamente a paridade de género e honrar as recomendações da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Vamos continuar a apostar nas senhoras, na certeza de que só assim saberemos construir um grande país, com homens e mulheres, lado a lado, sem discriminação”, afirmou o Chefe de Estado, na cerimónia de tomada de posse da vice-presidente do Tribunal Supremo (TS), Efigênia Clemente, no salão nobre do Palácio Presidencial, na Cidade Alta. 

Na cerimónia, que contou com a presença da Vice-Presidente da República, Esperança da Costa, o Chefe de Estado felicitou a empossada pela confiança que mereceu quer do Tribunal Supremo, quer do Presidente da República, para doravante desempenhar “tão importante cargo”.

O Chefe de Estado salientou ser mais uma senhora a somar os muitos casos de mulheres que ocupam “importantes” cargos no aparelho de Estado angolano. “É sinal de que até ao momento as senhoras têm desempenhado com zelo e dedicação as funções que lhes têm sido confiadas”, admitiu o Chefe de Estado.

Em declarações aos jornalistas, no final da cerimónia, também testemunhada pela presidente da Assembleia Nacional, Carolina Cerqueira, magistrados dos tribunais superiores, ministros de Estado, governador de Luanda e alguns membros do Executivo, a vice-presidente do Tribunal Supremo prometeu coadjuvar o presidente do TS, Joel Leonardo, na melhoria da organização e funcionamento dos tribunais, bem como restaurar a confiança dos cidadãos na actividade jurisdicional.

Aos colegas magistrados que votaram em si pediu maior coesão no trabalho, independentemente do sentido de voto, para o cumprimento da administração da justiça em nome do povo, nos termos da Constituição e da Lei.

“Agradeço primeiramente a Deus que é o autor e consumador de todas as coisas e pedir que me ilumine nessa nova função de coadjuvante do presidente do Tribunal Supremo, nas suas atribuições e competências”, declarou a magistrada do Ministério Público.

Efigênia Clemente prometeu, no acto de juramento, cumprir e fazer cumprir a Constituição e as leis da República, bem como desempenhar com dedicação e responsabilidade as funções em que foi investida.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *