Fevereiro 29, 2024

O ministro de Estado para a Coordenação Económica discursou, quinta-feira, na plenária da Cimeira, numa intervenção em que reafirmou o compromisso de Angola com a paz e com a cooperação baseada na soberania dos Estados e no respeito mútuo entre nações.

José de Lima Massano acrescentou que esse compromisso é  potenciado pela firme decisão da implementação de reformas, nos últimos cinco anos, tornando o país mais acessível e atractivo ao investimento.

O ministro de Estado discursava no encerramento da 15ª Cimeira dos BRICS, que decorreu até ontem na capital económica sul-africana, em representação do Presidente da República, João Lourenço.

“São imensas as oportunidades que o nosso país oferece, desde a agricultura, pescas, exploração de madeira e mineração, produção industrial, turismo, banca, seguros, construção, telecomunicações, entre outros”, apontou.

Segundo José de Lima Massano, o país engajou-se na melhoria das infra-estruturas de base em todas dimensões que concorrem para a dinamização das “nossas indústrias”.

A República de Angola, salientou, é bem conhecida dos BRICS, porque mantém relações diplomáticas e económicas de longa data, consideradas estratégias e de “imenso valor”.

Na sua intervenção, José de Lima Massano realçou que Angola é o sétimo maior país de África, com uma área territorial de 1,2 milhões de quilómetros quadrados, contando com cerca de 34 milhões de habitantes.

“Apesar de apresentar um Produto Interno Bruto  (PIB) anual de cerca de 120 mil milhões de dólares e os inúmeros recursos naturais de que dispõe, enfrenta ainda o desafio da diversificação económica e do crescimento sustentável e inclusivo”, assinalou.

Neste sentido, acrescentou, entre outros objectivos,  Angola definiu como prioridades o desenvolvimento do capital humano para proporcionar melhores oportunidades de inclusão social e de geração de rendimento, tendo na  segurança alimentar o veículo estruturante de prosperidade nacional.

Na sua alocução, apresentou Angola como um país que se mantém firme no compromisso com a paz e com a cooperação internacional baseada na soberania dos Estados e no respeito mútuo entre nações.

Na ocasião, o ministro de Estado estendeu um convite aos presentes para visitarem Angola e explorar as oportunidades de negócios que o país oferece e que pode ser partilhado na plataforma dos BRICS.

Expansão dos BRICS

“Compreendemos que a realização deste importante encontro sobre a extensão dos BRICS, a África reconhece a oportunidade para uma cooperação multilateral equilibrada e o fortalecimento de uma cooperação mutuamente vantajosa entre países e comunidades que perseguem objectivos comuns de desenvolvimento sócio-economico”, disse.

Na visão do ministro de Estado para a Coordenação Económica, as diversas crises que o mundo enfrenta neste século deixam a clara importância do desenvolvimento sustentável para o continente africano, onde cerca de 60 por cento da população tem menos de 25 anos, “mas que ainda observa níveis altos de pobreza, não obstante as potencialidades económicas que se reconhecem em cada um dos nossos países”.

JA    

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *