Fevereiro 25, 2024

O arranque da fase de reforço da vacina da pólio, que prevê imunizar de 13 a 16 do corrente mês, 5.4 milhões de crianças dos zero aos cinco anos de idade, em Angola, constitui, entre outros, o destaque social da semana que termina hoje, sábado.

A campanha conta com o envolvimento de 45 mil e 645 técnicos, enquadrados em nove mil e 52 equipas de vacinação, três mil 367 supervisores nacionais mobilizadores, vacinadores e monitoria, 218 assessores nacionais e provinciais e 208 logísticos.

A iniciativa vai permitir aumentar o nível imunitário das crianças, com uma dose suplementar de reforço, assim como o reforço da vigilância epidemiológica mediante a realização de acções de buscas activa de casos suspeitos de paralisia flácida aguda nas comunidades.

Sobre este assunto, o secretário de Estado para Saúde Pública, Carlos Alberto de Sousa, reafirmou a aposta do Executivo angolano, no reforço da cobertura vacinal contra a poliomielite em crianças menores de cinco anos.

A primeira fase da vacinação decorreu de 8 a 11 de Setembro, abrangendo 5.6 milhões de crianças, fruto do trabalho de oito mil equipas de vacinação e 2.500 supervisores que, superando desafios conseguiram alcançar as áreas mais remotas.

Nesta semana, o representante do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF) em Angola, Antero Pina, destacou o empenho do Executivo angolano na promoção de acções que visam garantir a saúde das crianças.

Antero Pina enalteceu os esforços do governo angolano e de parceiros em imunizar crianças menores de cinco anos, em todo o país, tendo lembrado que Angola erradicou, com sucesso, a circulação do vírus selvagem da pólio, em 2015.

Mereceu também destaque, o anúncio da assistência de 65 mil e 434 pacientes com problemas oculares, de Janeiro a Setembro do corrente ano, no país, feito pela directora-geral do Instituto Oftalmológico Nacional de Angola (IONA), Luísa Paiva.

A responsável informou que a sua instituição realizou, de Janeiro a Setembro do corrente ano, cinco mil e 198 cirurgias em pacientes com problemas oculares, sendo as cataratas, doenças da córnea e da conjuntiva, pálpebras, ametropias e o glaucoma as patologias mais frequentes.

Intervindo na II Jornada Cientifica do Instituto Oftalmológico Nacional de Angola, que abordou os principais desafios desta patologia no país, com cerca de duzentos médicos e especialistas, entre angolanos, cubanos e americanos, a directora apontou a hipertensão arterial e as diabetes como as principais doenças que mais alterações provocam ao sistema ocular, levando mesmo a cegueira.

Angola possui 95 médicos especialistas nesta área, dos quais 58 são nacionais. No período homólogo de 2022, foram atendidos cerca de 68.238 pacientes.

Nesta semana, a directora Nacional da Saúde Mental, Massoxi Vigário, anunciou que a Rede Integrada de Saúde Mental, a nível primário, é constituída actualmente por 202 unidades sanitárias,  distribuídas por 67 municípios das 18 províncias do país.

De acordo com a responsável, o número cresceu significativamente, nos últimos nove anos, saindo de 18 hospitais, em 2013, para 202, neste quarto trimestre do presente ano, reflectindo um aumento de 184 postos sanitários de cuidados mentais a crianças e adolescentes.

Em declarações à ANGOP, a propósito das actividades alusivas ao Dia Mundial da Saúde Mental, celebrado a 10 de Outubro, referiu que o crescimento de tais infra-estruturas foi motivado, essencialmente, pela criação do Plano Nacional de Desenvolvimento Sanitário 2012/2025.

Segundo o secretário de Estado da Saúde Pública, Pinto de Sousa, a Rede Integrada de Serviços de Saúde Mental em Angola (RISSM) assistiu, de 2020 ao primeiro semestre de 2023, 359 mil e 579 pessoas com perturbações mentais.

O responsável avançou essa informação na abertura da 11ª Conferência sobre “Saúde Mental Infanto-Juvenil”, tendo esclarecido que as perturbações mais frequentes são transtornos por uso de drogas, psicótico por uso de álcool, esquizofrenia, ideias delirantes, estresse, neuróticos secundários e transtornos de humor e somatomorfos.

A participação de uma delegação de altos funcionários do Ministério da Saúde, no encontro da SADC dos Ministros da Saúde e Finanças do E8 para a eliminação da Malária na região Austral de África, que acontece em Windhoek, Namíbia, também mereceu atenção.

O encontro decorre de 11 a 12 de Outubro, sob o lema “Zero Malária Começa Comigo” e visou discutir estratégias de combate à malária na região da SADC, de modo a garantir que mais países sejam declarados livres da doença.

A Malária continua a ser a primeira causa de morte nestes países. De acordo com o relatório da SADC do ano passado (2022), foram registados 63 milhões de casos e 42.871 mortes.

Outro destaque da semana foi a inauguração das instalações da TV ZIMBO na província do Huambo, pelo secretário de Estado da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, para atender, igualmente, os conteúdos do Bié e do Cuando Cubango.

Após o corte da fita, que simboliza o início oficial das actividades da Redacção da cadeia televisiva nesta região do Planalto Central, o secretário de Estado, recebeu explicações sobre o funcionamento da instituição, localizada no bairro São Pedro, arredores da cidade do Huambo.

Na ocasião, o secretário de Estado disse que a inauguração da TV ZIMBO constituiu um motivo de satisfação e de orgulho para os cidadãos das províncias do Huambo, Bié e Cuando Cubango e que vai assegurar a concretização do direito à informação necessária aos cidadãos.

Neste período, o músico Carlos Lamartine, a professora Rosa Roque e o grupo Gingas do Maculusso foram distinguidos como “Munícipes de Mérito”, a mais alta distinção da província de Luanda, em reconhecimento dos seus feitos no ramo da música.

A cerimónia de homenagem foi orientada pelo governador de Luanda, Manuel Homem, de quem receberam um diploma de mérito e uma peça de vidro.

O governador disse que esta homenagem é um mecanismo que visa incentivar os cidadãos da província a realizarem acções que contribuam para o bem de Luanda.

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *