Fevereiro 29, 2024

Os embaixadores de Angola e da África do Sul na Etiópia, Miguel César Domingos Bembe e Edward Xolisa Makaya, convergiram, esta terça-feira, posições em relação aos principais propósitos da UA, como a promoção da unidade, solidariedade e coesão e a cooperação entre os países e povos de África.

Durante um encontro, as duas entidades reflectiram sobre o processo de reformas em curso na UA e a necessidade de aceleração da Agenda 2063, denominada “ A África que nós queremos”, um plano para o desenvolvimento sócio-económico e transformação do continente africano num período de 50 anos (2013-2063), que compreende 7 aspirações, 20 objectivos, 28 áreas prioritárias, 57 metas e 72 indicadores.

Face a conclusão no ano em curso do Primeiro Plano Decenal de Implementação (FTYP) da Agenda 2063, os dois interlocutores alvitraram acções para o Segundo Plano Decenal de Implementação (STYP), apelidado de “o Projecto Especial”.

No quadro da integração económica do continete, os embaixadores Miguel Bembe e Edward Makaya defenderam o aceleramento da implementação da Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA).

Regozijaram-se pela recente integração da UA como membro de pleno direito do G20, assumindo-se como uma grande força para garantir a equidade e a justiça internacional. Esboçaram ideias em relação ao mandato de Angola no Conselho de Paz e Segurança da UA para o biénio 2024-2026 e da presidência da organização continental em 2025.

Os também representantes permanentes juntpo da UA analisaram de forma profunda o funcionamento da Comissão da União Africana (CUA) e abordaram os princípios que devem nortear as candidaturas para a eleição do próximo Presidente.

Os dois diplomatas enfatizaram que a CUA precisa de uma liderança forte, capaz de garantir a unidade da organizaçãção continental e corresponder aos seus grandes projectos e desafios, com base nos princípios que presidiram a sua fundação.

Nos últimos dias, o Embaixador Miguel Bembe manteve encontros da mesma natureza com os seus homólogos da Argélia, Lamina Laabas, de Moçambique, Ana Nemba Uaiene, e do Egipto, Mohamed Omar Gad, que elogiaram o papel que Angola tem desempenhado nas questões de paz e segurança no continente africano, sob liderança do Presidente João Lourenço, Campeão da UA para a Paz e Reconciliação em África. 

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *