Fevereiro 25, 2024

Pelo menos três insurgentes foram mortos e outros três estão “encurralados” depois de lançarem hoje um ataque a uma base da Força Aérea paquistanesa no estado oriental de Punjab, indicou fonte oficial.

“A base aérea de treino de Mianwali, da Força Aérea do Paquistão, foi alvo de um ataque terrorista falhado”, afirmou em comunicado o departamento de comunicação do exército paquistanês (ISPR).

Três atacantes foram mortos “antes de conseguirem entrar na base”, ainda segundo o ISPR, que referiu danos em três aeronaves mas sem avançar se houve vítimas entre os militares.

O ataque de hoje ocorre num contexto de agravamento da violência no Paquistão e um dia depois de dois atentados terem provocado a morte de cerca de 20 pessoas.

Pelo menos 14 membros das forças de segurança foram mortos na sexta-feira na província do Baluchistão, no sudoeste do país, quando o comboio em que viajavam foi atacado por um grupo de homens armados.

Horas antes, pelo menos cinco pessoas, uma das quais um polícia, morreram e outras 21 ficaram feridas numa explosão causada por uma bomba colocada numa moto estacionada perto de um veículo policial, na província de Khyber Pakhtunkhwa, no noroeste paquistanês.

O aumento da violência no país coincidiu com a chegada ao poder do regime talibã no Afeganistão, em Agosto de 2021.

Os talibãs paquistaneses são um grupo separado, mas aliado dos talibãs afegãos, que tomaram o poder quando as tropas dos Estados Unidos e da NATO estavam na fase final da sua retirada.

Desde então, o Paquistão registou um aumento de incidentes terroristas, tendo a situação piorado em dezembro passado, quando o grupo talibã paquistanês anunciou o fim do cessar-fogo alcançado um mês antes com o Governo de Islamabad, a quem acusou de não cumprir os compromissos nas negociações de paz.

Janeiro passado foi o mês mais mortífero deste conflito desde Julho de 2018, com pelo menos 134 mortos e 254 feridos em 44 ataques, segundo o Instituto de Estudos de Conflitos e Segurança do país.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *