Maio 19, 2024

Os ataques israelitas ao hospital Al-Shifa, o maior da Faixa de Gaza, intensificaram-se “dramaticamente” durante a noite de sexta-feira, denunciou hoje a Organização Não-Governamental Médicos Sem Fronteiras (MSF).

 “Nas últimas horas, os ataques ao hospital Al-Shifa intensificaram-se de forma dramática. A nossa equipa no hospital relatou uma situação catastrófica no interior do hospital há poucas horas”, escreveu a ONG na rede social X (antigo Twitter).

A organização insiste no seu apelo para que se ponha termo aos ataques contra os hospitais e se protejam as instalações de saúde, o pessoal médico e os doentes.

“Não podemos retirar-nos e (deixar) as pessoas lá dentro. Como médico, eu juro ajudar as pessoas que precisam de ajuda”, disse Mohamed Obeid, um cirurgião citado pelos MSF.

Na sexta-feira, as tropas israelitas começaram a cercar o hospital Al-Shifa e vários outros centros hospitalares importantes em Gaza.

O Ministério da Saúde da Faixa de Gaza, que é dirigido pelo braço armado do Hamas, disse na sexta-feira que pelo menos 20 pessoas foram mortas num ataque israelita a Al-Shifa.

Mais de 11 mil pessoas foram mortas e quase 27.500 ficaram feridas na Faixa de Gaza na guerra que eclodiu em 07 de Outubro, depois de um ataque do Hamas contra Israel, no qual 1.200 pessoas foram mortas e 240 sequestradas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *