Maio 19, 2024

O Presidente da República, João Lourenço, defendeu, segunda-feira, em Luanda, que a Transportadora Aérea de bandeira (TAAG) seja mais ambiciosa e competitiva no mercado internacional e sirva melhor os utentes.

Falando na cerimónia de empossamento do novo secretário de Estado para a Aviação Civil, Marítimo e Portuário, Rui Carreira, o Titular do Poder Executivo recomendou mais apoios à TAAG, para que possa cumprir a sua missão. “Temos de ser mais ambiciosos para fazermos da TAAG uma companhia mais competitiva, que sirva melhor os utentes”, declarou o Chefe de Estado, orientando ao empossado particular atenção à companhia nacional de bandeira, sem prejuízo de outras áreas que também são da sua responsabilidade.

Ao reconhecer a falta de uma “devida atenção” à TAAG, João Lourenço concordou que o continente africano não possui muitas companhias como a transportadora aérea nacional de bandeira que, nos últimos anos, fez “grandes investimentos” em recursos humanos, sobretudo, em tripulações, técnicos de manutenção, gestores, incluindo na aquisição e manutenção de aeronaves. “Temos a obrigação de, com a nossa companhia, servir melhor o continente, abrindo mais rotas em África”, afirmou o Chefe de Estado, para quem a TAAG na Ásia, também, não se deve limitar a voar para a China e no continente americano se cingir a voos para o Brasil.

João Lourenço sublinhou, ainda, que a ambição da TAAG deve ir além da realização de voos a apenas três capitais europeias, defendendo diferentes destinos às cidades norte-americanas, pois Angola está a melhorar “todos os dias” os laços de amizade e cooperação com os Estados Unidos da América.

“Os Estados Unidos nos têm aberto as portas. Portanto, esta oportunidade deve ser bem aproveitada”, referiu o Presidente da República, antes de prometer ao novo secretário de Estado para a Aviação Civil apoios para que possa cumprir bem a missão de fazer da TAAG uma companhia melhor.

“Já é uma grande companhia. Simplesmente, precisa de uma atenção particular da parte do Executivo”, considerou o Chefe de Estado, apelando para a necessidade da recuperação da actual frota, apesar de o Executivo estar a encomendar novos aviões à Boeing.

“Estamos a encomendar novas aeronaves à Boeing, mas precisamos de não descurar a necessidade de recuperar a actual frota, que não é nada pequena. Alguns meios de baixa precisam ser recuperados, independentemente de esperarmos, nos próximos anos, receber mais meios já encomendados e anunciados”, reforçou João Lourenço.

O Presidente da República disse ter acertado na escolha do novo secretário de Estado, pela experiência que possui no ramo da Aviação Civil: “Creio que acertámos na aposta que fizemos em si. Aqui, estamos para quaisquer apoios de que necessite para que possa cumprir bem com a sua missão”.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *