Abril 21, 2024

O sorteio de acesso às 700 residências na Centralidade da Quilemba, no Lubango, iniciou hoje, quarta-feira, no pavilhão principal de Nossa Senhora do Monte, processo em que concorrem mais de 20 mil candidatos.

O processo que vai até sexta-feira, 22, inicia com o sorteio de 300 apartamentos, onde constam mais de sete mil inscritos, segue na quinta-feira para as residências isoladas, que são 200 e estão mais de sete mil alistados e por último as casas geminadas, que tem mais de cinco mil inscritos, para as 200 disponíveis.

Foram inscritos no processo 21 mil 113 candidatos, mas depois de uma análise feita pela Comissão Provincial para o Acompanhamento do Processo, o número passou a mais de 20 mil.

A diferença trata-se de casos excluídos por falta de requisitos, duplas candidaturas, procuração mal preenchida, bem como casos pendentes e outros ficaram por contactar a comissão encarregue do sorteio, sendo que os últimos casos foram resolvidos e reinseridos novamente nas listas.

Para a modalidade do pronto pagamento, na qual são reservadas 70 moradias, nos três tipos, foram inscritos um total de 29 candidatos, dos quais nove ficaram excluídos por falta de requisitos.

Segundo a Comissão encarregue do processo, em comunicado à imprensa, o sorteio inicia pelas 12 horas, mas os inscritos terão acesso ao local uma hora antes, desde que apresentem o boletim de inscrição e o Bilhete de Identidade.

A centralidade da Quilemba, localizada a Nordeste da Cidade do Lubango, foi construída a 20 quilómetros da cidade do Lubango e está implantada numa área de mil e 100 hectares com oito mil unidades habitacionais, tendo sido concebida para albergar 48 mil habitantes.

Desenvolvido em regime concepção-construção, a centralidade contempla infra-estruturas internas como rede viária, rede eléctrica e de iluminação pública, água, esgotos e drenagem de águas pluviais. Em termos de equipamentos sociais, foram construídos jardins-de-infância, escolas primárias e secundárias e áreas de lazer.

Em termos de diversidade de edifícios habitacionais, o projecto inclui moradias isoladas e geminadas, edifícios de apartamentos de dois e três pisos. Actualmente uma boa parte das residências já estão habitadas.

Angop

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *