Fevereiro 29, 2024

O primeiro jogo oficial do 1º de Agosto no Estádio França Ndalu, não teve o final que os adeptos desejavam, pois o empate, a um golo, neste sábado, teve um sabor amargo, na recepção ao Wiliete de Benguela, resultando no segundo empate consecutivo da formação militar que pensava festejar em grande.

O golo marcado por Jiresse, aos 66 minutos, estragou o final da tarde que seria de festa para os eternos fiéis apoiantes rubro e negros, que compareceram em massa, apesar de não lotar a capacidade total do recinto, aliás, tal como era previsível devido ao número de ingressos vendidos perto de seis mil.

Em relação ao desafio, os militares esperavam por dificuldades e os visitantes foram dignos desta preocupação, pois a formação orientada por Silvestre Pelé, sempre esteve no jogo, mesmo não tendo importunado no primeiro tempo, o guarda-redes Neblú.

Os pupilos de Filipe Nzanza deixaram claro desde o início que queriam marcar o mais cedo possível e se não fosse a má pontaria de Obed aos 3′ e aos 20 minutos, já estariam em vantagem.

Mas não estragou nada, pois o avançado congolês redimiu-se com uma cabeçada certeira aos 26 minutos, batendo o guarda-redes Nsesani, um rebento da formação do 1º de Agosto.

Aos 42 minutos foi a vez do avançado Dago falhar a boca da baliza, usou força a mais, quando o lance pedia jeito, desperdiçando uma boa oportunidade para dilatar o marcador e quiçá dar a tranquilidade que se precisava.

No reatamento, as duas equipas mexeram nos respectivos xadrez, sendo Filipe Nzanza primeiro e depois Silvestre Pelé. Contudo, o conjunto benguelense fez uma substituição forçada com a saída do avançado Cabibi, entrou aos 40′ e saiu aos 55 minutos, após um choque involuntário com o guarda-redes Neblú.

Como o Wiliete não quis participar da festa da estreia do estádio França Ndalu, deixou triste os adeptos do 1º de Agosto com o golo aos 66′, de Jiresse, um velho conhecido do emblema militar, por ter representado o clube em duas ocasiões.

Foi a única oportunidade criada pelos visitantes e resultados em golo, numa eficácia de cem por cento, contra às várias saídas do ataque dos vice-campeões nacionais.

Pela segunda vez consecutiva, Bobó e companhia deixaram fugir a vitória nos minutos finais do jogo, depois de terem consentido o empate igualmente a um golo, na jornada passada, diante do Desportivo da Huíla.

O árbitro Nelson da Silva colocou-se ao jeito por criar situações que podiam resultar em males maiores tanto para a sua integridade física

como para os seus colegas, por deixar passar possíveis penáltis a favor da equipa da casa.

A divisão de pontos coloca o 1º de Agosto numa posição desconfortável na tabela de classificação, com 10 pontos, menos 11 em relação ao líder do campeonato nacional com 21.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *