Maio 24, 2024

O Presidente da República, João Lourenço, colocou, sábado, à disposição das populações do Huambo, um novo Centro de Hemodiálise, localizado no Hospital Sanatório, com capacidade de 19 camas e 56 máquinas de alta tecnologia, responsáveis pela filtragem do sangue e garantir atendimento simultâneo aos pacientes renais.

A cerimónia de inauguração da unidade sanitária foi presenciada pela Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço, por ministros de Estado, deputados à Assembleia Nacional, membros do Executivo central e provincial, autoridades tradicionais, religiosas e sociedade civil.

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, destacou as valências da unidade sanitária ora inaugurada, que vai atender entre 40 e 50 doentes por dia e oferecer todas as condições técnicas e humanas para acudir doentes agudos e crónicos.

Além de albergar serviços de hemodiálise, a infra-estrutura acolhe o segundo serviço de Nefrologia do país, o que vai evitar que os pacientes viajem para outros pontos de Angola à procura de outras unidades, uma vez que as duas áreas têm a ver com problemas renais.

Sílvia Lutucuta adiantou que o Executivo angolano está empenhado em trabalhar para a melhoria dos serviços de saúde no país.

A ministra da Saúde esclareceu que a obra foi construída com fundos públicos, sob tutela do Ministério que dirige e vai acrescentar valor à dignidade humana, pelo facto de representar uma melhoria da qualidade de assistência aos doentes com insuficiência renal.

A governante sublinhou que a insuficiência renal é um problema de saúde pública, cujo impacto negativo começa a ser significativo na sociedade, e, para tal, requer uma particular atenção do Estado,  com vista à melhoria da prestação dos cuidados de saúde aos doentes.

A ministra frisou que o número de pacientes com insuficiência renal submetidos, diariamente, ao tratamento de diálise, é, cada vez mais, crescente, o que implica trabalhar mais para dar resposta a esta situação.

Fez saber que o Sistema Nacional de Saúde conta com 18 instituições públicas de hemodiálise, distribuídas por oito províncias do país, devidamente equipados com meios técnicos e recursos humanos qualificados para dar resposta à procura, e controla três mil e 200 utentes a nível nacional.

Sílvia Lutucuta garantiu que o Governo está comprometido em levar os serviços de hemodiálise para todas as capitais provinciais, uma vez que os novos hospitais em construção vão beneficiar de centros anexados.

A ministra da Saúde garantiu que ao longo do primeiro semestre de 2024, o sector vai expandir o serviço de hemodiálise nas províncias do Cunene, Cuanza-Sul e Cuanza- Norte, porque as acções prioritárias do sector continuam focadas no controlo desta doença crónica não transmissível.

 
Formação de profissionais

Sílvia Lutucuta considerou que a formação dos profissionais de saúde é o pilar para a qualidade dos serviços prestados, tendo acrescentado, por isso, que a unidade sanitária garante a continuidade na formação nas áreas específicas.

A governante defendeu, por outro lado, que o Centro de Hemodiálise, para além de representar ganhos na área de saúde das populações, traz, ainda, para o Governo da Província do Huambo, ganhos em termos de empregabilidade, por garantir novos postos de trabalho para 100 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de laboratório, de nefrologia e farmácia.

Sílvia Lutucuta apelou aos profissionais da Saúde a continuarem a apostar no desenvolvimento profissional, para garantir trabalho de qualidade no atendimento e educar os doentes no sentido de adoptar um novo estilo de vida mais saudável.

Por sua vez, a governadora do Huambo, Lotti Nolika, afirmou que o novo Centro de Hemodiálise vai permitir reforçar o sistema de saúde na província, uma vez que a garantia da saúde é um pilar essencial para o desenvolvimento socioeconómico do país.

Os pacientes Antónia Miguel e Severino Tiago, que padecem de insuficiência renal aguda, enalteceram a iniciativa do Governo em colocar à disposição os serviços de hemodiálise no Huambo e melhorar a assistência médica medicamentosa dos utentes.

“É um investimento concreto, porque oferece, igualmente, serviços de Nefrologia de qualidade”, afirmaram.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *