Junho 20, 2024

O Tribunal Supremo decretou, quarta-feira, a liberdade definitiva ao antigo ministro dos Transportes Augusto Tomás na sequência do cumprimento de seis dos sete anos de prisão, de que foi condenado pelos crimes de peculato, violação das normas de execução do plano e orçamento, no caso do Conselho Nacional de Carregadores (CNC).

O ex-ministro dos Transportes foi condenado pelo Tribunal Supremo em Agosto de 2019, inicialmente a 14 anos de prisão maior, em primeira instância, mas viu a sua pena reduzida a sete anos, após recurso da defesa.

Augusto Tomás deveria permanecer na prisão mas, segundo o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imagem do Tribunal Supremo, Leandro Lopes, por já ter cumprido a maioria da pena e beneficiar do perdão de um quarto da mesma, o Supremo decidiu conceder-lhe a liberdade definitiva.

O ex-ministro estava em liberdade condicional, desde Abril de 2022, depois de requerer, ao Tribunal Supremo, a soltura por razões de saúde.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *