Junho 14, 2024

 O então vice para área académica, Eduardo Nangahafina que foi sacrificado no escândalo das notas, foi queixar-se ao Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação apresentando várias provas e a ministra Maria do Rosário Bragança mandou coar com o director geral, que de boca cheia, dizia que não se demitia.

A redacção

 Com base numa carta escrita na altura dos factos, pelo então vice-reitor para área académica, Eduardo Nangahafina, denunciando má gestão financeira e conduta indecorosa da secretaria geral do Isced de Luanda, isto em Dezembro do ano passado, a ministra Maria do Rosário Bragança mandou instaurar um processo de inquérito e concluída, chegou se a conclusão que a direcção do ISCED de Luanda, existe falta de transparência do herario público.

No documento chegada à mesa da redacção do Estado News, dá conta que houve improbidade pública por parte dos membros de direcção e da secretaria geral e nesta conformidade, a ministra do Ensino exonerou toda direcção desta instituição e cessam as funções a 1de Marco e do corrente ano.

 Em caso de necessidade de obter quaisquer esclarecimentos sobre o assunto, os membros destituídos dos cargos poderão contactar o coordenador da comissão de inquérito, Lokonda Baú Nzu , director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística para apresentar os argumentos de razão.

A nota esclarece ainda, que terminado o inquérito a titular da pasta do Ensino superior, vai nomear uma nova direcção.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *