Maio 19, 2024

Chefes de Estado e de Governo, que integram a Mesa da Conferência da União Africana, incluindo Angola, apreciaram, quarta-feira os critérios de selecção e eleição do próximo presidente da Comissão desta organização continental.

A análise dos dossiês decorreu em reunião virtual, em que o Chefe de Estado, João Lourenço, se fez representar pelo ministro das Relações Exteriores, Téte António.

Durante o encontro, convocado pelo Presidente da Mauritânia, Mohamed Ould Ghazouani, na qualidade de presidente em exercício da União Africana, foram igualmente apreciados os critérios de selecção dos (as) vice-presidentes e os respectivos comissários, que vão cuidar dos sectores específicos da UA, a partir do próximo ano.

Para o efeito, os membros da Mesa da Conferência da União Africana convocaram para o dia 15 deste mês, em Adis Abeba, a reunião extraordinária do Conselho Executivo da UA, para analisar o referido processo e os critérios de selecção.

No final da sessão, o chefe da diplomacia angolana, Téte António, disse tratar-se de um processo muito complexo, tendo em conta os interesses que abrangem e as linhas de pensamento, no que diz respeito à forma e à metodologia de escolha. “É preciso encontrar consenso”, assinalou.

Neste particular, e sem avançar as escolhas existentes, Téte António disse que uns defendem a rotação e outros o factor competência e competição aberta. “Todas essas escolhas precisam ser conciliadas para chegarmos a um ponto comum e pudermos escolher, calmamente, e de forma mais consensual, o próximo presidente da Comissão da UA”.

O chefe da diplomacia angolana disse que o encontro de ontem teve, também, como objectivo “facilitar” o trabalho do Conselho Executivo, para a reunião extraordinária do dia 15. A Comissão, acrescentou, apresentou as suas propostas e estas serão submetidas à apreciação do Conselho Executivo.

Para o efeito, lembrou que a última Cimeira da União Africana criou um painel com cinco personalidades para analisar o Currículo Vitae de todos os candidatos, quando chegar essa etapa. Trata-se de um outro mecanismo que já está em plena criação.

A reunião virtual convocada pelo Chefe de Estado da Mauritânia, na qualidade de presidente em exercício da União Africana, teve a participação dos Presidente Dennis Sassou Nguesso, do Congo, e de Moussa Faki Mahamat, presidente da Comissão da União Africana, que cessa as funções já no próximo ano.

Assegurar consenso entre os Estados–membros

O presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat, destacou, na sua intervenção, a necessidade das partes examinarem a aplicação do princípio da rotatividade inter–regional, decidido na Cimeira de 2018.

“A reunião de hoje (ontem) é importante e urgente,  na medida em que os resultados vão assegurar o consenso entre todos os Estados–membros”, disse.

 Moussa Faki lembrou aos presentes que a rotação inter-regional prevista segue a ordem alfabética em Inglês. “Precisamos garantir uma liderança eficaz,  forte,  firme e, acima de tudo, uma selecção transparente baseada no mérito”, sublinhou, considerando estes critérios muito importantes tomados durante a Assembleia de 2018 e recomendados em 2021 durante a eleição da actual Comissão.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *