Maio 24, 2024

Pelo menos 61 mil famílias do município de Caluquembe, na província da Huíla, em situação de pobreza e vulnerabilidade começaram, nesta sexta-feira, a ser cadastradas para dentro de dois meses receberem as primeiras transferências monetárias do Programa de Fortalecimento da Protecção Social, Kwenda.

Caluquembe torna-se no sexto município da Huíla abrangido pelo programa, depois da Cacula, Humpata, Gambos, Quilengues e Chibia. O processo de cadastramento é porta a porta, para aferir a real situação dos beneficiários.

Lucas Eduardo Pacheco, de 77 anos de idade e a Maria Chiloca, de 32, ambos residentes na aldeia de Vionga, arredores de Caluquembe, foram os primeiros a serem cadastrados. O primeiro considerou que Kwenda “é o renascer de uma nova vida” e vai tirar maior proveito do apoio.

Já Maria Chiloca disse que quando receber o dinheiro vai aumentar os seus rendimentos com a prática de diversas actividades produtivas, como a agricultura, pecuária e comércio, para melhorar as condições de vida da família.

Na ocasião, a directora municipal do Turismo e Cultura no Lubango, Luísa Caputo, em representação da vice-governadora da Huíla, Maria Chipalavça, sublinhou que o Kwenda é um programa que está a mudar destinos de angolanos, com apoio financeiro directo.

O cadastramento, segundo a dirigente, decorrerá em dois meses e a perspectiva é que em Junho do corrente ano o programa chegue, também, ao município de Quipungo, onde a previsão é alcançar quatro mil 637 famílias.

A formação de 39 Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário que vão garantir a execução do Kwenda, em Caluquembe terminou nesta sexta-feira e na ocasião, o chefe de Departamento Provincial do FAS na Huíla, Frederico Sanumbutue, salientou que a formação tem um “significado singular”, na medida em que marca um passo no empoderamento e capacitação, para garantir a implementação eficaz do programa.

Para o gestor, os ADECOS são um “pilar fundamental” para todos os passos do Kwenda, desde as acções de diálogo comunitário, cadastramento, validação de pagamentos, a monitoria e o elo entre as famílias.

O Programa de Fortalecimento da Protecção Social, Kwenda na província da Huíla, abrange 21 comunas, mil 713 bairros e aldeias e 145 mil 138 mil famílias em cinco municípios, nomeadamente Cacula, Quilengues, Gambos, Humpata e Chibia, onde já foram entregues até quatro prestações.

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *