Maio 23, 2024

Com objectivo de dar resposta aos casos de desmaios que muitas das vezes acabam em mortes, o Caminho-de-Ferro de Benguela prevê a instalação de equipas médicas no interior dos comboios para assistir os clientes durante as viagens no traçado Huambo/Moxico e vice-versa.

O mais recente caso, envolveu a morte de uma enfermeira que seguia viagem no troço Cuíto/Luena, para tratamento médico.

A situação chamou atenção de um grupo de parlamentares da 4ª comissão da Assembleia Nacional a “inquirir” o CFB sobre as medidas que estão a ser tomadas para se inverter o cenário.

A direcção local do CFB aponta que, nos últimos anos, tem se registado casos de mortes e desmaios por motivos de doença e asfixia por superlotação, principalmente na 2ª e 3ª classes no troço Huambo/Luena e vice-versa.

O aumento de carruagem para responder a demanda de passageiros, criação de oficinas para reparação das locomotivas dentro do país, reparação dos rodados e a higienização dos comboios, foi também discutido entre os parlamentares e a direcção do CFB.

Segundo o coordenador dos deputados do Moxico, Felino Job, a iniciativa visa responder as preocupações apresentadas pela população, sobretudo nesta altura que se regista escassez de locomotivas.

CK

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *