Junho 14, 2024

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou, nesta quinta-feira, ter chegado a acordo com o Equador para um empréstimo de cerca de 4.000 milhões de dólares (3,7 mil milhões de euros) em quatro anos.

O acordo será ainda sujeito à aprovação da direcção do FMI.

O chefe da missão do FMI no Equador, Varapat Chensavasdijai, disse que “as autoridades equatorianas elaboraram um plano sólido e começaram a tomar importantes medidas políticas para resolver a situação de liquidez e fiscal”.

O Presidente do Equador, Daniel Noboa, e o FMI tinham anunciado no início de Março que estavam a negociar as condições do empréstimo.

No âmbito da negociação, o Fundo pediu a Noboa que o Equador garantisse a sustentabilidade macroeconómica e fiscal.

Numa das últimas medidas executadas, Noboa decretou o aumento do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) para 15% a partir de 01 de Abril, tal como tinha anunciado depois de ter conseguido fazer aprovar a reforma que lhe permitia aumentar a taxa para esse nível.

A reforma cuja aprovação Noboa eleva o IVA de 12% para 13%, mas permitia que o Presidente o aumentasse até 15%, após um relatório favorável do Ministério da Economia e Finanças, medida com que espera aumentar as receitas do Estado em cerca de 1,3 mil milhões de dólares (1,2 mil milhões de euros).

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *