Maio 24, 2024

 

A promoção da leitura e da escrita por parte das escolas vai abrir caminhos para que os alunos desenvolvam o vocabulário, correcção na escrita, melhoria na oratória, além do desenvolvimento psíquico e o apuramento das suas capacidades de atenção e memória.

Essa constatação foi feita ontem, em Luanda, pela ministra da Educação, Luísa Grilo, durante o encerramento do programa de auscultação pública do Plano Nacional de Leitura “PLANALEITURA”, que ocorreu no anfiteatro da escola Mutu Ya Kevela, no Distrito Urbano da Maianga, província de Luanda.

A governante frisou que o programa visa levar os estudantes e a população, a assumirem a leitura como meio de acesso ao conhecimento, a fim de desenvolverem capacidades e hábitos pessoais que os distingam no processo de comunicação oral e escrita. A ministra defendeu que a acção da escola em incentivar o hábito de leitura, deve ser implementada também no seio familiar, nas comunidades, nos locais de associativismo como igrejas, bibliotecas e mediatecas, “pois um povo que lê tem a cultura ao seu alcance”, disse.

Luísa Grilo realçou que o Plano Nacional de Leitura tem como objectivo a materialização dos programas definidos pelo Executivo, como um dos pilares de desenvolvimento do capital humano, que tem contribuído para a implementação de políticas públicas, com vista a melhorar o ensino e aumentar os níveis de literacia.

A ministra enalteceu a participação de todos os sectores da sociedade, na elaboração e aperfeiçoamento do plano, como os professores, estudantes, escritores, editores e parceiros internacionais.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *