Maio 24, 2024

Um suposto médico em Luanda está a ser acusado de ter exigido sexo a uma cidadã, de 24 anos de idade, no interior de uma das unidades hospitalares, na capital do país, em troca de um favor: ter acesso a sala de internamento, onde encontrava-se um familiar seu. 

O episódio aconteceu por volta das 21 horas, na noite de domingo, 05 de Maio. Segundo o porta-voz do Departamento de Investigação de Ilícitos Penais da Polícia Nacional (DIIP), Inspector Chefe Quintino Ferreira,  em declarações ao Correio da Kianda, o acusado é um prestador de serviço do Hospital Materno Infantil, Azancot de Menezes, localizado na zona da Camama.

De acordo com os relatos, o suposto médico cruzou com a lesada quando movimentava-se no interior  do hospital, e dela, procurou saber  o que lhe afligia, questionando-na se precisava de ajuda.

Predispondo-se em ajudá-la, aflita, a jovem aceitou, e o prestador de serviço cumpriu com a promessa, levando-na até a sala onde estava internada o seu familiar.

Foi então, que após o auxílio prestado, o suposto médico solicitou da jovem que lhe agradecesse com um favor, exigindo que o beijasse.

Rejeitado, de seguida, segundo o porta-voz do DIIP, o acusado decidiu apalpar as nádegas da utente, o que levou a cidadã lesada a recorrer a intervenção da Polícia Nacional, que procedeu a detenção do suposto médico.

CK

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *