Maio 19, 2024

Os excursionistas que chegaram domingo a Luanda, vindos do Namibe, elogiaram as belezas naturais e espaços históricos e culturais do país. Provenientes de Welvis Bay, na Namíbia, os visitantes, cuja embarcação teve como ponto de partida o estado de Miami, nos Estados Unidos, efectuaram uma visita de horas por alguns locais de Luanda.

O programa de visita, de ontem, foi preenchido com passeios aos principais pontos turísticos da capital do país, entre os quais o Memorial António Agostinho Neto, o Miradouro da Lua, o Museu da Escravatura, o Mercado do Benfica, a Barra do Kwanza e a Fortaleza de São Miguel.

Ao longo da visita de ontem, os turistas disseram ter ficado impressionados com a cidade de Luanda. O brasileiro Gabriel Montebusi revelou que, a princípio, não tinha muita expectativa. “Estou surpreendido. São muitos encantos”, admitiu. Para o brasileiro, o maior problema foi o tempo. “Queria poder ficar mais horas e conhecer outros locais”, disse. No Namibe, explicou que admirou, também, além da cidade, a gastronomia local.

O director da empresa Travel Guest, José Cabral, considerou a vinda do navio de cruzeiro um ganho para o sector do Turismo. “É uma porta aberta para mostrar ao mundo as belezas naturais do país”, frisou.

Itinerário
O navio de cruzeiro “Crystal Serenity” tem 721 passageiros, dos quais 240 turistas, entre norte-americanos, australianos, brasileiros, britânicos, canadianos e portugueses, que escolheram Luanda e  Namibe como principais destinos turísticos. 

Fernando Barroso, representante do proprietário da companhia Crystal Serenity, disse que Angola não fazia parte da rota do navio. “Inicialmente a vinda não seria este ano, mas sim 2025, num roteiro que incluiria o Brasil, passaria pelas Ilhas de Ascensão e Santa Helena”, revelou.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *