Maio 19, 2024

Para combater o assédio e o envolvimento sexual entre professores e alunos, o governador provincial de Luanda exigiu, segunda-feira, que os gestores dos estabelecimentos de ensino implementem o projecto denominado “Vulnerabilidade sexual zero nas escolas.”

Manuel Homem fez esta recomendação na cerimónia de boas-vindas e juramento de 855 novos docentes da capital do país, admitidos no concurso público de ingresso externo realizado no ano passado.

“Este fenómeno provoca gravidez precoce, assédio moral, “bullying”, abandono escolar e desestruturação familiar”, admitiu. No seu discurso, o governador  encorajou os professores, os funcionários administrativos e os gestores escolares na província para a formação contínua, com o intuito de melhorar as habilidades no tratamento das novas tecnologias para auxiliar na gestão dos recursos humanos. 

Na cerimónia, realizada no Cine Atlântico, no Distrito Urbano do Rangel, os professores foram aconselhados, também, a “evitem as más práticas que, ainda, se vão assistindo no sistema de ensino. Sejam exemplos de mudanças e transmitam apenas os valores morais e cívicos”, exigiu Manuel Homem.

Os 855 novos docentes foram distribuídos pelos municípios de Talatona, com 51, Belas, com 53, Kilamba Kiaxi (69), Viana (83), Cazenga (106), Cacuaco (110), Luanda (111), Quiçama (132) e Icolo e Bengo (140).

 
Falsificação

Mais de 100 documentos falsificados foram detectados no acto para completar os processos individuais dos candidatos admitidos, antes da assinatura dos contratos, títulos e despachos de provimento pelo Ministério da Educação, revelou Carlos Kiomboleca, um dos membros da comissão de júri.

“De facto, registámos muitos documentos falsos e estão a merecer o seu tratamento administrativo”, garantiu o também chefe do Departamento de Planeamento e Recursos Humanos do Gabinete Provincial de Educação de Luanda.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *