Junho 14, 2024

Mil 425 camponeses dos municípios de Dande, Cambambe, Dange-Quitexe e Tomboco foram formados, nos últimos  cinco meses, sobre novas técnicas agrícolas que proporcionam modelos de produção biodiversos,   para melhorar  a dieta das famílias.

Trata-se de camponeses das províncias do Bengo,  Cuanza-Norte,  Uíge  e Zaire. 

Inserido no projecto “Melhora da Segurança Alimentar no Norte de Angola”, a acção formativa foi financiada pela Nações Unidas e implementada pela organização CODESPA Angola.

A formação teve por objectivo fomentar o cultivo de hortícolas através das Escolas de Campo, promover a criação de Bancos Comunitários de Sementes e fortalecer capacidades de gestão organizativa aos grupos de camponeses beneficiários.

Implementado a 18 meses, o projecto já apoiou 40 comunidades rurais nas  províncias do Bengo,  Cuanza-Norte, Zaire e Uíge.

Nestas localidades os técnicos trabalharam com os agricultores nas componentes de criação de bancos comunitários de sementes para facilitar o acesso a sementes de qualidade pelos agricultores em situação de pobreza.

Além do apoio na melhoria das práticas agrícolas,  o projecto fomenta a constituição de bancos comunitários de sementes de feijão e milho nas comunidades beneficiárias do projecto.

Pretende-se que as famílias realizem colheitas resultantes da produção em campos colectivos que funcionam de acordo com a metodologia de escolas de campo de agricultores.

No primeiro ano de apoio do projecto,  as comunidades colheram feijão, cebola, berinjela, repolho, couve e quiabo.

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *