Julho 20, 2024

Os operadores de táxis e moto-táxis da província do Bié receberam nesta quinta-feira os primeiros dois mil cartões para compra de gasolina ao preço subvencionado de 160 kwanzas o litro, que visa apoiar as diferentes associações de transportes na mitigação do impacto causado pelo reajuste daquele derivado do petróleo.

Os cartões para a subvenção da gasolina, ontem entregues pelo Governo do Bié, vão apoiar os operadores da província a manter a estabilidade dos preços no transporte de passageiros, travando desta forma o apetite especulativo, que já se começava a fazer sentir no mercado, a partir do momento em que o Executivo decidiu pela retirada gradual dos subsídios ao  preço da gasolina, que passou de 160 para 300 kwanzas o litro.   

Foram recebidos pelas estruturas governamentais da província, nesta primeira fase, dois mil e quarenta e oito (2.048) cartões de consumo, sendo que para o município do Cuito foram entregues  372, no Andulo 85 e Camacupa e Chinguar 43 cada.

Hoje, sexta-feira, o processo continua, com a entrega de cartões de consumo para os membros das associações de táxis e moto-taxistas das municipalidades de Cunhinga, Catabola, Chitembo, Nharêa e Cuemba. Serão ainda distribuídos 200  cartões para os operadores do município do Cuito, num processo que se prevê rotineiro, como de resto fez saber o director do Gabinete de Transporte, Tráfego e Mobilidade Urbana do Bié, Waldemar Lunguela.

Quanto ao processo de cadastramento, que as estruturas governamentais tinham dado como encerrado no começo do mês de Junho, o responsável pela área dos Transportes da Província do Bié assegurou ao Jornal de Angola que o mesmo vai continuar até final do mês junto das sedes de todas as administrações municipais, para permitir que as diferentes Associações de taxistas e moto-taxistas existentes na província consigam um maior número de membros.

A província do Bié, de acordo com Waldemar Lunguela, licenciou, na primeira fase, mais de 14 mil taxistas e moto-taxistas, tendo entregue oito mil e setecentas e oitenta e oito (8.788) licenças. 

Na cerimónia oficial de entrega dos primeiros cartões de subvenção à gasolina, a vice-governadora do Bié para a Política  Social, Alcida de Jesus Camateli, sublinhou  que a decisão tomada pelo Executivo não serviu para prejudicar a vida das pessoas, como algumas correntes políticas procuraram defender, mas sim ajustar as contas públicas, salientando que o Estado teve sempre em atenção salvaguardar os interesses do sector produtivo e seus pares, em que se inserem precisamente os operadores de transportes públicos de carga e passageiros, nomeadamente os taxistas e moto-taxistas. 

Assegurou, ainda, que o processo de licenciamento é para continuar e vai beneficiar todos aqueles que querem, de facto, colaborar com o Estado neste momento de mudanças necessárias que se impõem para as contas públicas, considerando a classe de taxistas e de moto-taxistas de “verdadeiros guerreiros e colaboradores do Estado”, porque, segundo ela, souberam manter a calma e a estabilidade no trabalho, num momento em que a sociedade mais deles precisou.

“A classe de taxistas e moto-taxistas do Bié é um exemplo a seguir por todo o país, porque no momento que o Estado precisou deles, estiveram ali para colaborar, abstendo-se de actos de vandalismo e violência como forma de alcançar os seus intentos. Por isso, a sociedade agradece”, disse Alcida Camateli.

O delegado provincial da Associação de Moto-Taxistas (Amotrang), Luís Cardoso Adriano, mostrou-se satisfeito e agradecido pelo reconhecimento, em nome de todos os associados, e apelou à classe a evitar a especulação dos preços, apontando responsabilização criminal para todos que assim procederem.

“A população, que é a maior beneficiada deste processo em curso, deve denunciar aos órgãos de Polícia Criminal todos aqueles que agirem de má-fé e optarem pelo caminho da especulação”, alertou.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *