Julho 20, 2024

  A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, declarou que Angola tem potencial para contribuir para a afirmação da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e para o bem-estar das suas populações.

A dirigente partidária comentava sobre a realização da 43.ª Cimeira Ordinária de Chefes de Estado e de Governo da SADC que terá lugar a 17 de Agosto deste mês, em Luanda, sob o tema  “Capital humano e financeiro: Os principais motores da industrialização sustentável da região da SADC”. 

 Saudou a visão “estratégica de Angola” de construir o  corredor do Lobito, para contribuir para o desenvolvimento económico  e social regional e para o cumprimento das agendas 2063 da União Africana e 2030 da ONU. 

Adiciona entre as contribuições angolanas a instalação do sistema por satélite ANGOSAT capaz de melhorar as comunicações entre os países da região. 

Luísa Damião lembrou que a estratégia de criação da SADC constituiu também um elemento de auto afirmação dos países da região por uma melhor contribuição em prol do continente africano e do mundo. 

A vice-presidente do MPLA considerou ainda importante aprimorar as relações de cooperação bilaterais e também multilaterais a bem da organização. 

A SADC é uma organização inter-governamental criada em 1992 e dedicada à cooperação e integração sócio-económica, bem como à cooperação em matérias de política e segurança. 

Integram a organização Angola, Botswana, Comores, República Democrática do Congo, Eswatini, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, África do Sul, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe. 

Angola assume no mês em curso a presidência rotativa da SADC, para um período de um ano, depois de já o ter feito em 2012. 

 O Presidente em Exercício da SADC é o Presidente da República Democrática do Congo, Félix Tshisekedi

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *