Julho 19, 2024

 

O Presidente da República, João Lourenço, recebeu, terça-feira, em Luanda, o director executivo da De Beers, Al Cook, de quem recebeu garantias da expansão dos investimentos da multinacional sul-africana, nos domínios da prospecção e exploração de diamantes no país.

“Falámos com o Presidente da República sobre a nossa pretensão de acelerar e expandir os nossos investimentos nos domínios de prospecção e exploração de diamantes no país”, declarou aos jornalistas, o director executivo da De Beers, no final do encontro, no Palácio Presidencial, na Cidade Alta.

Al Cook manifestou a pretensão da De Beers de continuar a trabalhar com o Executivo angolano, mais concretamente com a direcção do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, e a Endiama, como forma de ampliar, cada vez mais, as suas actividades no país.

O CEO da De Beers informou, a propósito, que, no âmbito das actividades em Angola, a multinacional sul-africana efectuou estudos electromagnéticos para a localização de kimberlitos, salientando que os mesmos encontram-se concluídos em 50 por cento, o que permitirá à empresa executar os projectos com mais precisão.

O empresário sublinhou que a próxima fase será a realização de pesquisas magnéticas por meio de aeronaves, seguindo-se a perfuração para uma maior certificação sobre a existência de diamantes no solo angolano.

 
Encontro “produtivo”

O director executivo da De Beers considerou “bastante produtivo” o encontro com o Presidente João Lourenço, a quem disse ter reportado os progressos e investimentos da De Beers nos dois “grandes” projectos diamantíferos que desenvolve na Lunda-Sul e na Lunda-Norte.

A De Beers efectua a prospecção de depósitos primários de diamantes numa extensão territorial de 9.984 Km², nos municípios de Saurimo, Dala e Muconda, na província da Lunda-Sul, e numa área de 9.701 Km², nos municípios de Chitato, Lucapa e Cambulo, na Lunda-Norte.

“Desde que regressamos a Angola, há dois anos, temos alcançado grandes progressos nos dois grandes projectos em que estamos a investir”, indicou All Cook, que se manifestou optimista quanto aos resultados das pesquisas que a De Beers realiza na área electromagnética.

O responsável da multinacional De Beers elogiou, a propósito, as reformas que têm estado a ser implementadas pelo Presidente da República em vários sectores, salientando que com as mesmas (reformas) os “importantes” recursos minerais angolanos criarão maior valor e ajudarão na melhoria das condições de vida dos cidadãos.

Entre as reformas destacou a adesão de Angola à Iniciativa Internacional de Transparência nas Indústrias Extractivas, a liberalização cambial e a supressão de vistos que têm permitido a entrada no país de cidadãos de diversas nações.  “Esses incentivos fizeram, há dois anos, a De Beers regressar a Angola e motivarão outros investidores a implementar projectos em várias localidades angolanas”, afirmou.

O interesse renovado da De Beers em projectos diamantíferos em Angola decorre das reformas implementadas pelo Executivo angolano no sector Diamantífero, que conferem mais transparência aos processos de outorga de direitos mineiros, assim como mais participação no desenvolvimento sócio-económico das zonas mineiras, em particular, e do país, em geral.

A De Beers é um conglomerado de empresas envolvido na mineração e comércio de diamantes. A sua área de acção abrange todas as categorias da indústria de mineração de diamantes a céu aberto, no subsolo em larga escala de aluvião, no mar profundo ou em encostas.

Além de Angola, a De Beers desenvolve actividades de mineração na Namíbia, Botswana, África do Sul e Canadá.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *