Fevereiro 25, 2024

 

A capital do país vai contar com mais dois subsistemas de captação, tratamento e abastecimento de água, que estão a ser construídos no Bita e Kilonga, anunciou, terça-feira, em Kifangondo, município de Cacuaco, o ministro da Energia e Águas (MINEA), antes do início da visita de trabalho com o governador provincial de Luanda, Manuel Homem.

João Baptista Borges disse que os subsistemas vão ter capacidade de 750 mil metros cúbicos de água, para beneficiar 7.500.000 habitantes da província de Luanda.

Outro desafio no abastecimento de água para Luanda, explicou João Baptista Borges, prende-se com a expansão da rede de distribuição.

Neste momento, revelou, além das 160 mil ligações do projecto Bita, serão efectuadas mais de 500 mil no Kilonga, para permitir a chegada de água às residências dos munícipes do Zango e bairros periféricos.

João Baptista Borges deu a conhecer que as obras anunciadas vão ser executadas num prazo mínimo de três anos. “Estamos a fazer acções de melhoria gradual, como foi o caso da construção da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Candelabro, no município de Cacuaco”.

À ETA de Candelabro, em Kifangondo, esclareceu João Baptista Borges, foram adicionados mais 90 mil metros cúbicos de água, para acima de 900 mil habitantes da zona norte de Luanda.

O ministro da Energia e Águas anunciou, também, a construção do sistema de Captação no Cassaqui, que vai permitir que a água seja transportada numa conduta subterrânea, ao contrário das anteriores ao ar livre, para evitar contaminação.

Equipas técnicas mobilizadas para acudir vítimas da chuva 

Equipas técnicas dos municípios de Luanda estão em estado de alerta para assistir a população com dificuldades nesta época de chuva, garantiu, ontem, na Centralidade KK5000, o governador da capital do país, após a inauguração de uma Agência da Empresa Pública de Águas (EPAL-EP).

Manuel Homem disse que em Viana uma equipa da Unidade Técnica de Gestão e Saneamento de Luanda (UTGSL) está a trabalhar nas bacias de retenção de água, para se evitar o transbordo, com bombas de sucção.  

“Muitas bacias de retenção estão a atingir os seus limites e para permitir o escoamento das águas para os canais naturais existentes no perímetro de Viana foram colocadas bombas de sucção”, declarou à imprensa, realçando que na equipa integram, também, membros do Ministério das Obras Públicas, Urbanismo e Habitação.  

O governador provincial informou que já foram identificadas as áreas que ficam inundadas quando chove, tendo assegurado que a UTGSL tem estado à procura de soluções, sobretudo nas avenidas Fidel Castro e Deolinda Rodrigues (ex-Estrada de Catete), para a drenagem da água das chuvas.   

Manuel Homem reconheceu que existem outras áreas na capital que precisam, também, de drenagem das águas das chuvas. “Temos outras zonas, onde estamos a realizar obras, mas continuamos a ver ainda assentamentos de água. Temos pontos de estrangulamento que estão identificados e vamos trabalhar para diminuir a pressão causada pela chuva”.

 
EPAL arrecada no Kilamba 15 milhões de kwanzas anuais

A Agência da Empresa Pública de Águas (EPAL-EP) arrecada 15 milhões de kwanzas, anualmente, com a cobrança do consumo aos moradores da Centralidade do Kilamba, em Luanda.

A informação foi avançada, ontem, na Centralidade KK 5000, no município de Belas, pela responsável do balcão da EPAL – EP, inaugurado pelo ministro João Baptista Borges, no quadro da visita do governador provincial de Luanda, Manuel Homem, às infra-estruturas da Empresa Pública de Águas.      

Segundo Eloísa Cortez, o montante é proveniente do pagamento regular do consumo de água de 4.588 clientes, com uma receita diária de 509 mil kwanzas.

O antigo balcão, explicou, está localizado no Kilamba e atende, em média, 44 clientes por dia. 

O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 16h00, e aos sábados das 8h00 às 12h00, por quatro trabalhadores.

Segundo dados oficiais, na Centralidade KK5000 existem 3.475 habitações entre vivendas e apartamentos de tipologia T3. A centralidade foi inaugurada em 2011, tendo sido construída para acolher uma população estimada em 120 mil habitantes, nos mais de 20 mil apartamentos, distribuídos em 710 edifícios.  

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *