Abril 21, 2024

As autoridades nigerianas afirmaram, ontem, que as escolas de pelo menos 14 estados, além da capital, Abuja, estão vulneráveis a ataques, após os últimos raptos por grupos armados em escolas do país africano.

Hajia Halima Iliya, coordenadora do programa estatal Funding Safe Schools na Nigéria, disse que estas actividades estão em curso em várias partes do país, embora tenha reconhecido que o programa de fortificação das escolas foi suspenso.

“Foram recolhidos dados sobre as escolas em risco em 14 estados, incluindo a capital, para intervenção”, disse, citada pela Efe, sublinhando que a agência tinha contactado as autoridades desses Estados para que afectassem fundos ao projeto.

O comandante do Ponto Focal Nacional para as Escolas Seguras, Hammed Abodunrin, detalhou que os estados afectados incluem Adamawa, Bauchi, Benue, Borno, Katsina, Kebbi, Plateau, Sokoto, Yobe e Zamfara, para além do território da capital federal e três estados não especificados.

O próprio Abodunrin sublinhou que os últimos ataques são “infelizes” e argumentou que “os atacantes estão à procura de alvos fáceis”. “Vão para locais onde pensam que podem actuar rapidamente antes da chegada de ajuda”, afirmou.

“Também atacam quando as redes de comunicação são más. Os casos em Ekiti e Kaduna são exemplos de como os membros da comunidade não foram capazes de pedir ajuda rapidamente”, explicou, de acordo com o diário nigeriano, Punch.

Cerca de 465 estudantes, professores e mulheres foram raptados na semana passada, incluindo mais de 280 de uma escola em Kaduna e 15, de uma escola islâmica em Sokoto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *