Julho 21, 2024

Um drama explosivo está a desenrolar-se no Tribunal de Comarca de Belas, em Angola, com Teresa Gerardin no papel principal. A exequente está a recorrer a métodos duvidosos para tentar executar os bens do proeminente empresário Bento Kangamba. Mais surpreendente ainda é o facto de estar a utilizar um documento particular sem força executiva, indo contra a Lei Processual Civil angolana! Mas a novela não termina aqui! Descobriu-se que o montante que Gerardin está a reclamar não é um crédito legítimo. Num incidente suspeito em 2017, Teresa Gerardin participou num esquema ilícito para transferir a enorme quantia de dez milhões de dólares para o exterior, na esperança de envolvê-lo numa transação duvidosa. No entanto, Kangamba devolveu parte do dinheiro, instruindo o banco a devolver o valor total. Mas, devido à imprecisão do banco, apenas oito milhões foram devolvidos. Entretanto, sabe-se que Kangamba propôs a entrega dos valores em prestações, mas Teresa Gerardin nega-se.

Esta ação não apenas levanta suspeitas sobre Gerardin, mas também a coloca no centro de um escândalo de lavagem e branqueamento de capitais e como se isso não fosse suficiente, Teresa Gerardin está a ser apoiada por um grupo de pessoas que, em troca de favores, estão a violar descaradamente a lei que deveriam proteger. O código de processo civil angolano está a ser flagrantemente ignorado neste caso chocante, deixando muitos a questionarem quem está realmente do lado da justiça!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *