Maio 23, 2024

Dois jovens perderam a vida na tarde desta quarta-feira, 17, na empresa Karam Industrial, localizada no Polo Industrial de Viana, em Luanda.

De acordo com uma fonte, no local, o facto ocorreu durante a construção de uma nave de fabricação de varões, que se destinam a construção civil, um deles, terá sido sido ordenado por um dos chefes de nacionalidade indiana, a subir a uma altura de mais de trinta metros, para colocar chapas na estrutura metálica, sem o mínimo de condições de segurança exigida em trabalhos desta natureza, tendo o jovem caído e vindo a falecer no local.

O segundo incidente, de acordo com a nossa fonte, aconteceu no mesmo dia um outro jovem de aproximadamente 30 anos de idade, perdeu o braço o quando produzia varão de aço, vindo a falecer igualmente no local por ter perdido muito sangue.

A fonte, um dos funcionários da empresa que preferiu o anonimato por temer represálias referiu que na empresa os indianos não se importam com a segurança dos angolanos no trabalho, sendo que, normalmente as questões que acarretam algum perigo de vida são normalmente entregues aos compatriotas, cujos salários não são nem um terço, comparado com o dos indianos.

A nossa fonte referiu que aquando do ocorrida todos os funcionários foram obrigados a entregar os telemóveis aos oficiais do Serviço de Investigação Criminal (SIC), que acorreram ao local para perícia.

O facto que espanta os funcionários é que, recentemente, a Karam Industrial, afirmou ter arrecadado mais de 40 milhões de lucros, com a comercialização de materiais metais e de construção civil, em Angola.

De realçar que o actual Presidente da Namíbia, Hage Gottfried Geingob aquando da sua primeira visita de Estado em Angola terá visitado a industria, localizada em Viana.

A Karam Industrial é uma empresa da indústria transformadora, que possui fábricas de cobre, alumínio, aço e PVC. A fábrica de cobre e de alumínio produz cabos eléctricos de baixa e média tensão. A de aço produz malha sol, varão nervurado, roscado normal, galvanizado, arame recozido, galvanizado e farapado.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *