Julho 20, 2024

O presidente do Grupo Parlamentar do MPLA, Virgílio de Fontes Pereira, constatou, segunda-feira, no município de Belas, situações delicadas ligadas ao sector da Energia Eléctrica e da Mobilidade Urbana.

Durante a visita feita a alguns distritos do município de Belas, o deputado observou que os problemas mais preocupantes estão ligados à distribuição de energia eléctrica domiciliar às famílias do Distrito Urbano de Quenguela e da Barra do Kwanza, além da dificuldade na mobilidade urbana do Distrito Urbano de Cabolombo.

O parlamentar avaliou o grau de execução das principais vias do Cabolombo, entre as quais a 23 de Março, Dr. Sérgio Luther Rescova Joaquim e Uanhenga Xitu. Aproveitou, também, a ocasião para observar os quatro Postos de Transformação (PT) alocados ao Distrito Urbano do Kilamba e ao Distrito Urbano de Quenguela.

De acordo com Virgílio de Fontes Pereira, o programa enquadra-se numa das principais atribuições que tem o grupo de deputados. O Grupo Parlamentar do partido dos camaradas, realçou, tem que olhar para as realizações dos municípios, as dificuldades e os constrangimentos da não execução dos projectos nas comunidades.

Destacou que o organismo deve, também, ter o contacto com as pessoas, a sociedade civil e as comunidades, de modo que possa sentir os anseios do povo e, consequentemente, estar munido de informações e melhor preparado para o debate parlamentar.

A visita, referiu, tem a matriz de envidar esforços para realizar e concretizar as atribuições da Assembleia Nacional. Explicou que o debate político mais estruturado é realizado no Parlamento, onde estão representados os vários partidos, reforçando que a Assembleia Nacional é o único órgão de soberania onde se assiste, se realiza e se materializa o debate político multipartidário.

Virgílio de Fontes Pereira esclareceu que o Parlamento tem, fundamentalmente, três atribuições: uma Legislatura, a outra é atribuição e fiscalização, que serve para observar e saber como o Executivo materializa o Orçamento Geral do Estado (OGE), como materializar as leis que pede para aprovar e a tarefa de representação política, pois os deputados são os representantes do povo.

Por outro lado, o deputado felicitou as autoridades do Poder Local por terem concluído com êxito os projectos do PIIM e, consequentemente, referiu que é gratificante perceber que “um município tão importante como o de Belas tem esse volume de realizações”, onde as obras do programa implementado pelo Governo foram quase todas executadas.

No município de Belas, foram contemplados 20 projectos ligados ao Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), tendo concluído mais do que a metade.

Para o 1º secretário-municipal do MPLA, Wilson Morais, a mobilidade ainda é uma situação que preocupa a administração, porque a única zona com maior facilidade de acesso é no Distrito Urbano do Kilamba.

A avaliação, frisou, é positiva, fundamentalmente, pela visita do Grupo Parlamentar e apelou aos militantes do partido e munícipes, de uma forma geral, que continuem a acreditar no Executivo.

  Zaire apresenta principais problemas

Cinco deputados do Grupo Parlamentar do MPLA encontram-se, desde ontem, na província do Zaire, onde, entre outras actividades, vão avaliar os níveis de desenvolvimento socioeconómico da região.

À chegada, os parlamentares, coordenados por Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, foram recebidos, na sede municipal do Nzeto, pelo primeiro secretário do Comité Provincial do MPLA no Zaire, Adriano Mendes de Carvalho, e pelos membros da Comissão Executiva do partido.

O coordenador adjunto do Grupo, Paulino Nzuzi Mpoloantinu, explicou, à imprensa, que a visita dos deputados serve, igualmente, para auscultar os vários segmentos da sociedade local, com o propósito de se inteirar dos principais problemas que afectam a vida das populações.

Avançou que os parlamentares deverão trabalhar du-rante os cinco dias nos seis municípios do Zaire, nomeadamente, Mbanza Kongo, Soyo, Nzeto, Tomboco, Nóqui e Cuimba, onde vão, também, observar o grau de participação dos militantes nas actividades do partido.

“O Grupo Parlamentar do MPLA vai auscultar as populações para se inteirar dos problemas candentes vividos aqui na província do Zaire, bem como radiografar os vários projectos em curso, com maior foco para os que estão inseridos no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) e no Programa de Combate à Fome e à Pobreza”, disse.

  Cuanza-Norte em busca de melhores condições sociais

O coordenador do Grupo de Acompanhamento dos Deputados do MPLA no Círculo Provincial do Cuanza-Norte, João Gaspar, realçou, ontem, em Ndalatando, a preocupação do líder do partido dos “camaradas”, João Lourenço, em ver melhoradas as condições da população local, principalmente nos sectores da Saúde, Educação, Energia Eléctrica, Água e Habitação.

Falando no primeiro dia de trabalho dos parlamentares na província, o político disse que a recente deslocação nas vestes de Presidente da República, João Lourenço demonstrou a vontade e preocupação da melhoria de vida dos habitantes locais, facto que pode ser concretizado com o apoio de todos os filhos da terra, amigos e simpatizantes do partido.

João Gaspar frisou que o trabalho em curso nos 164 municípios do país, sob observação atenta dos 124 deputados do MPLA, tem o propósito de avaliar o nível social e económico das comunidades locais, além de servir para colher opiniões de pessoas da sociedade civil, professores, zungueiras e outros segmentos locais, com o foco na melhoria da execução dos projectos destinados ao povo.

Durante a apresentação da situação dos projectos de impacto social no Cuanza-Norte, o vice-governador para o Sector Técnico e Infra-estruturas, Mendonça Luís, disse que, para o ano em curso, a circunscrição recebeu do Orçamento Geral de Estado mais de 57 mil milhões de kwanzas, dos quais 14 por cento já executados.

Fez saber que do valor global recebido, 46 por cento do dinheiro está destinado a despesas com o pessoal, enquanto o pagamento da Segurança Social está beneficiado com quatro por cento da mesma fatia. Mendonça Luís referiu que estão reservados mais de 12 mil milhões para o recomeço das obras paralisadas.

Informou que, a nível dos Projectos de Investimento Público, o Executivo assegurou a electrificação de todas as sedes municipais, além da construção de uma escola com 32 salas de aula no Cazengo e a criação de um sistema de captação e tratamento de água potável a partir do rio Lussue, cuja execução financeira ronda os 34 por cento.

Lamentou o facto da população de Ndalatando consumir, diariamente, água potável por apenas 70 minutos.

PIIM tem 22 obras já executadas

O vice-governador indicou que o PIIM no Cuanza-Norte começou a ser executado em 2020, com um total de 86 obras propostas, das quais 22 já concluídas, 29 em curso e quatro que arrancam nos próximos dias.

Sublinhou que o sector da Educação conta com 30 obras, a Saúde 17 e os acabamentos estão na ordem de 82,5 por cento.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *