Maio 19, 2024

O reforço do sistema de educação aplicada à agricultura continua a ser prioridade do Governo francês no âmbito da sua cooperação com Angola, com vista a dinamizar o potencial que o país detém neste segmento.

A garantia foi dada hoje, segunda-feira, pela Embaixadora daquele país, Sophie Aubert.

Para tal, está em marcha a reabilitação de 12 Instituto Médios Agrários do país, incluindo o de Malanje, e consequente reformulação dos respectivos planos curriculares, iniciativa desenvolvida com o apoio da Agência Francesa de Desenvolvimento e da União Europeia, em prol da melhoria do perfil de saída dos estudantes, conferindo-lhes competências para empreender no ramo.

De acordo com a diplomata, que falava no final de uma visita de dois dias à província de Malanje, outra aposta recai para a contínua formação de quadros nos graus de licenciatura e doutoramento no ramo agrário, para além do provimento de equipamentos às instituições que leccionam este curso.

Como prova disso, Sophie Aubert procedeu à entrega de equipamentos laboratoriais ao Instituto de Tecnologia Agro-alimentar (ITA) afecto à Universidade Rainha Njinga a Mbande (URNM), inaugurado em 2019 no âmbito da parceria entre Angola e a França.

Trata-se de meios que visam reforçar a capacidade dos laboratórios no que diz respeito à análise do teor nutricional dos alimentos.

Entretanto, a Embaixadora reiterou a expansão dos liceus Eiffel em mais duas províncias, nomeadamente Huambo e Moxico.

Por sua vez, o vice-governador de Malanje para o sector Político, Económico e Social, Franco Mufinda, sublinhou a cooperação entre Angola e França, cujos reflexos são visíveis na melhoria do ensino no domínio agrário

Garantiu o engajamento do governo para o pleno funcionamento do ITA, sobretudo a sua componente laboratorial.

Enquanto isso, o reitor da URNM, Eduardo Ekundi Valentim, apontou o défice no fornecimento de água e energia como sendo uma das grandes dificuldades com que se debate a instituição.

Apesar disso, fez saber que estão em curso vários projectos, com destaque para formação de docentes em controlo da qualidade de água e alimentos, com financiamento da União Europeia, produção da merenda escolar, para além da busca de parcerias com empresas do ramo industrial para alargar a produção dos protótipos existentes.

A embaixadora da França em Angola manteve um encontro com o vice-governador de Malanje para o sector Político, Económico e Social Franco Mufinda, durante o qual foi apresentado a realidade sócio-económica da província.

A diplomata visitou o Liceu Eiffel, o Instituto Médio Agrário de Malanje (IMAM) e o Instituto de Tecnologia Agro-alimentar (ITA).

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *