Julho 21, 2024

O governador do Moxico, Ernesto Muangala, constatou, quarta-feira, as medidas de prevenção contra o surto da varíola do macaco, que assola a vizinha República Democrática do Congo (RDC).

Para conter a situação, a Direcção de Saúde do Moxico tomou no posto fronteiriço do Luau um conjunto de medidas de segurança sanitária, usando meios de testagem para identificar os possíveis sinais da doença.

Ernesto Muangala aproveitou a visita para encorajar e enaltecer o trabalho dos técnicos de saúde destacados naquele posto fronteiriço.

A saúde pública na fronteira do Luau, afirmou, está assegurada, pelo facto de os técnicos cumprirem todas as orientações do Ministério da Saúde.

“Observamos que todo o cidadão que circula na zona fronteiriça, tanto angolanos como congoleses, antes de atravessar de um lado para o outro, tem estado a cumprir com as medidas de higiene, sobretudo a lavagem das mãos com sabão, a desinfestação com álcool em gel e a fazer testes. A máscara é de uso obrigatório, por isso, as orientações estão a ser cumpridas”, disse.

Recomendações

À população, Ernesto Muangala aconselhou a evitar o consumo de carne imprópria e alertou para a observância de sintomas como dor de cabeça, gripe, dores musculares, fadiga e lesões na pele.

O governador informou, ainda, que as autoridades do Congo Democrático têm dado garantias de estarem a lutar para travar o surto da varíola e, até ao momento, não houve registo de nenhum caso da doença nas zonas limítrofes com o município do Luau.

José Ngola, angolano que atravessa diariamente a fronteira em negócios, disse que tem feito, regularmente, os testes e usado a máscara protectora.

O único ponto lamentável, referiu, é que do lado da RDC as medidas de prevenção não estão a ser aplicadas como se verifica nos postos fronteiriços angolanos.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *