Abril 25, 2024

As contas da qualificação do Petro de Luanda podem ficar bem certas hoje, em caso de vitória sobre o Espérance Sportive de Tunis “EST.” O jogo pontuável para a primeira jornada da segunda volta começa às 17 horas, no 11 de Novembro, com esta verdade irrefutável: com mais três pontos, os petrolíferos tornam-se antecipadamente nos primeiros do Grupo C a garantir o apuramento aos quartos-de-final.

Melhor do que ninguém, o campeão nacional sabe que está diante da porta larga da oportunidade, agora só tem de aceitar o desafio de triunfar para entrar, realmente não pode deixar para o próximo ano, o que pode fazer hoje.

A exigência da vitória é o mínimo que se pode pedir ao Petro de Luanda. Por ser o líder invicto da sua série, o campeão angolano tem de aceitar que está diante do jogo do ano.

Ninguém pode pensar que colocar a fasquia no alto significa colocar um fardo adicional nas costas tricolores, certamente as coisas boas que contribuíram para os petrolíferos dispararem na liderança não caíram do céu, fazem parte do mérito e hoje, pode ser determinante para a qualificação antecipada.

Com ou sem boa exibição, o mais importante é que o Petro saiba estabelecer muito bem as prioridades, o nulo com o Recreativo do Libolo para o campeonato foi um mau ensaio para o Espérance.

Se a ideia era mesmo queimar em lenta combustão no Girabola, para guardar o melhor para a Champions, seguramente os muitos ou poucos adeptos que estiverem no 11 de Novembro afora, sentirão a mesma alegria de quem não estiver nas bancadas, porque no final receberão a mesma recompensa de serem suturados com os três pontos do apuramento aos quartos-de-final.

O EST impediu que o Petro fizesse o pleno na primeira volta, assim há todos os motivos para acreditar que vem ao 11 de Novembro para tentar ser o novo líder do Grupo C, a partir da segunda volta já contam os resultados dos confrontos directos.

Por mais que não pareça, este é de novo um embate em que a experiente equipa tunisina vai fazer pela vida, porque sabe que está em jogo a sua sobrevivência na Champions, tendo em conta que a dupla Al-Hilal e Etoile está a morde-lhe o calcanhar, porquanto têm ambos um ponto de desvantagem.

Bem vistas as coisas, não é só o EST que sente a pressão de ser apanhado, o Petro de Luanda também corre este risco. Ainda bem que é assim, pois cada um dos contendores vai ser desafiado a provar que construiu o seu plantel com materiais à prova de fogo, para resistir com êxito a todas as adversidades [in]esperadas, próprias dum jogo com estas características.

O véu que cobre o rosto deste jogo ainda não totalmente aberto, mas já dá para ver que este jogo tem cara de atitude de espera, certamente quem for muito paciente vai conseguir tirar melhor proveito daqueles detalhes infalíveis, que realmente dão sempre três pontos depois do apito final.

Num passado recente, os tricolores provaram dentro e fora do 11 de Novembro do veneno da eficácia do Wydad, mas como o treinador e o plantel são os mesmos, é normal esperar que o Petro evite sofrer uma recaída, não pode persistir no erro, ainda mais porque seria um retrocesso enorme, em face de tudo quanto fez na primeira volta.

Se dependesse só da vontade do Petro e do Espérance, claramente que o acordo de cavalheiros falaria mais alto, realmente uma igualdade nem por isso seria um mau resultado, mas seria bom se os tricolores não entrassem em campo com este único pensamento, porque além de curtos nas acções ofensivas, também deixariam o adversário confortável com as rédeas do jogo.

Que o campeão nacional gaste tudo para ganhar, se não chegar, é normal, o mais importante é que não jogou para conservar a liderança com o empate.

JA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *