Maio 24, 2024

A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) disponibilizou, esta quarta-feira, 12,2 milhões de dólares para o combate à malária e ao HIV/SIDA, no âmbito da assinatura do primeiro Acordo de Objectivos de Desenvolvimento (DOAG).

O acordo, assinado pela administradora assistente para a África da USAID, Monde Muyangwa, e pelo ministro do Planeamento, Víctor Hugo Guilherme, visa acelerar o desenvolvimento do capital humano, melhorando os resultados em saúde e educação, com foco nos angolanos em situação de risco.

De igual modo, o DOAG tem como objectivo melhorar o ambiente empresarial para a diversificação económica, através do fortalecimento da governança e do aumento do comércio e investimento, assim como apoiar meios de subsistência melhorados e proteger os recursos naturais.

Através deste protocolo, a USAID formaliza o seu apoio ao Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN), aprovado pelo Executivo, facilitando uma parceria transformadora que se alinha a este programa.

Ao intervir no acto, a administradora para a África da USAID afirmou que a instituição vai continuar a colaborar com o Executivo, com vista a garantir a implementação dos programas em prol do desenvolvimento do país.

“Este é um dia muito importante para os EUA e Angola. A USAID vai colaborar com o Governo angolano nesta nova parceria, no quadro do PDN 2024-2027, permitindo capitalizar a relação entre os dois países”, salientou.

Segundo a responsável, é desejo da USAID ajudar Angola, nos próximos cinco anos, com um investimento de 2,35 milhões de dólares para apoiar projectos prioritários do Executivo, em benefícios das populações.

Por seu turno, o ministro Víctor Hugo Guilherme afirmou que esses recursos são uma importante contribuição para a materialização dos dois pilares que sustentam o PDN, nomeadamente a valorização do capital humano e a promoção da segurança alimentar.

De acordo com o governante, para além dos recursos ordinários, cabe ao Ministério do Planeamento, junto dos parceiros internacionais para o desenvolvimento, mobilizar outros recursos para o apoio na concretização dos programas e projectos estabelecidos pelo PDN.

“Angola está a viver um momento crucial na sua história socioeconómica. Estamos a implementar um novo paradigma, no qual o esforço de todos é direccionado para a realização dos objectivos estabelecidos pelo PDN 2023-2027, que inclui os sectores público e privado, academia, assim como os parceiros internacionais”, acrescentou.

Testemunharam o acto o secretário de Estado para a Saúde Pública, Carlos Alberto Pinto de Sousa, entre outras entidades. 

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *