Maio 19, 2024

O ministro da Cultura e Turismo, Filipe Zau, manifestou-se profundamente triste pela morte da cantora e compositora angolana, Garda, ocorrida em Portugal, por motivos de doença, no dia 31 de Julho.

Segundo uma nota enviada à ANGOP, considera a cantora, que morreu aos 92 anos de idade, como uma estrela na cena musical, da década de 50.

Salienta ainda que foi a primeira artista angolana a beneficiar de um registo discográfico, em 1957, intitulado “Maria Candimba” e um outro, com o nome de Garda, em 2011, ambos produzidos pela Valentim de Carvalho.

Segundo o documento, nesta hora de dor e luto, o ministro da Cultura e Turismo, em seu nome e dois responsáveis e funcionários do seu Ministério, endereçam a família enlutada condolências de pesar.

Garda nasceu a 20 de Fevereiro de 1931 e editou o seu primeiro disco em 1957. 

ANGOP

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *